« Voltar
Jun
12
2021

Sobre mim

Moi

Qem és?
Chamo-me André, tenho 34 anos e acabei o Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica em Julho de 2015 pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Neste momento estou a viver na Holanda. Ver perfil LinkedIn para mais info. Para além disso trabalho no meu tempo livro noutros projetos. Por exemplo no blog inquasar.com. Para além disso, faço natação/calisthenics, toco guitarra/teclado, ...

Estes apontamentos ajudaram-te? Ficava contente de o saber :) meu perfil Linkedin

Porque é que fizeste este site?
Porqe vejo qe há coisas qe deviam ser feitas e não vejo mais ninguém a fazê-las. Comecei a fazer este site porqe via qe o modo como se aprende a matéria na faculdade podia ser muito... MUITO mais eficiente. Não vejo muita gente importada com isso. Toda a gente perde com isso. Os professores qe nós temos apesar de terem muita paixão pela engenharia, não o têm muitas vezes pelo ensino sendo qe essa componente tende a falhar. Além disso, a nós estudantes não nos são ensinados métodos de estudo / organização de tempo qe fazem uma diferença imensa no tempo de estudo necessário, stress, e assimilação de conhecimentos. Depois, todos os anos passam dezenas de alunos pelas disciplinas do curso, e quase se contam pelos dedos o número de apontamentos partilhados por disciplina. Isto especialmente dirigido aos bons alunos, qe de certeza têm bons apontamentos ou vários exercícios (bem) resolvidos mas não partilham com ninguém. Cada um sabe de si.

E quando acabares o curso?
Quando acabar o curso vou manter este site de pé até as coisas nele deixarem ser relevantes. Já existem sites de partilha de apontamentos a surgir e eu espero qe tenham sucesso e qe façam aquilo qe eu não tenho conhecimentos ténicos e tempo para fazer/aprender a fazer.

Como é qe aprendeste a fazer isto?
Na net existem imensos recursos para aprender as línguas necessárias para fazer um site como este (qe apesar de tudo não vai além dos básicos). Aprendi HTML (serve para estruturar o texto num site), CSS (serve para estruturar o design de um site) e jqery (estrutura as animações e aumenta um pouco a interação com o utilizador). Este site, http://www.csszengarden.com/ mostra o efeito da mudança do ficheiro de estilo CSS numa página web, mantendo tudo o resto igual. É engraçado ver o qe se pode conseguir apenas mudando apenas o CSS de um website. Para além destas, existe ainda por exemplo PHP e MySQL qe teria de aprender para trabalhar com bases de dados, mas sendo isso programação pura e bastante mais trabalhosa de aprender qe as três primeiras línguas, fiqei-me por elas.

Porqe é qe costumas escrever os "qe"'s sem "u"?
Porqe é uma letra qe nestes casos podia deixar de ser usada sem perigo nenhum para a compreensão do português. Tal como o último acordo ortográfico removeu várias letras de palavras sem grande utilidade (eléctrico -> elétrico, etc) também restam ainda várias qe podiam cair em desuso, e qe só se mantêm em uso por força de hábito/razões históricas (o qe na minha opinião são razões muito fracas), entre as quais o "u" nos qe's. Podia também remover o "h" de homem, hoje, ou escrever "izato" em vez de "exato" mas essas seriam não só mais radicais e por esse motivo apelavam menos à mudança, mas também eu podia correr o risco de não ser compreendido. A verdade é qe o português somos nós qe o fazemos e se toda a gente passasse a escrever "qe", e as palavras tal como se ouve, isto deixava de ser um erro, e passava a ser a forma correta de escrever - é assim qe uma língua evolui. O correto de hoje não é o correto de amanhã, e a verdade é qe qualqer professor de português do século XV daria uma valente negativa se corrigisse a ortografia de um texto escrito por qualqer um de nós e diria que isto nem português é. Por outro lado um professor de português (se existisse) do século XII diria o mesmo desse professor. Finalmente, tornar-se-ia uma língua mais fácil de aprender, uma vez qe os sons das letras tal como se ouvem no alfabeto corresponderiam ao seu uso nas palavras. Além disso é uma forma de nos questionarmos acerca de outras coisas: qe mais coisas é que são tidas pela maioria como naturais, como se sempre tivessem sido assim, sempre fossem ser assim, e qe o status-quo é qe é o correto, mas não são ou não têm necessariamente de o ser? Pensamento crítico é bem útil ;).

Influências?

Em nenhuma ordem em particular:

Outros trabalhos meus

How to Reason and Argue - Apontamentos de uma disciplina feita através da plataforma www.coursera.com dada pela universidade de Duke, dos EUA, sobre o raciociocínio e a lógica.