« Voltar
Jan
06
2020

Técnicas de Memorização

Ligar memórias rápida e efetivamente

As técnicas aqui descritas são as usadas por campeões de memória. Pessoas normais que por via de praticar estas técnicas conseguem feitos aparentemente restringidos a sobredotados. A técnica base de memorizaçao é a visualização de imagens daquilo que nos qeremos lembrar. Isto deve-se ao facto de que temos uma memória visual excelente. Faz sentido, uma vez que dependemos dela durante a esmagadora maiora da nossa existência para sobreviver como seres humanos. Essas imagens devem depois ser interligadas umas às outras, juntando-as numa só ou em algumas. Se possível sucede-las, e ainda torná-las animadas. Há certos princípios a seguir de maneira a criar imagens qe sejam facilmente memorizadas.

Serem ridículas

Um dos princípios mais importantes é qe a imagem seja memorável. Faz sentido né? E o que torna uma imagem memorável? Regra geral ser ridícula (imagina coisas descabidas ou que te fazem rir), ser tabu ou estranho. Por exemplo, ao tentar decorar a palavra "waarschuwing" que em holandês significa "aviso" fiz o seguinte. "Waar" associo a "war" (Guerra), "schu" associo a "shoe" (sapato) e "wing" a asa. Então imaginei um sapato voador com uma trombeta a fazer os sons de aviso de guerra sobre uma cidade em bombardeamento. Podes perguntar: "E vale a pena ter todo este trabalho...?" Experimenta e vês. É tão útil que não me sinto bem sequer a tentar outro método para memorizar palavras. Vale e bem o tempo inicial "perdido" a pensar no que usar para lembrar a palavra.

Técnicas específicas para a ridicularização das imagens:
Exagerar - Um objeto muito maior ou menor qe o outro. Exemplo: Ao decorar a palavra "kantoor" associo aos "cantões" (regiões) da Suíça. Em holandês significa escritório. Então imaginei a suíça vista de cima em que cada região é um escritório diferente e os suíços vivem dentro deles.
Torna as imagens vívida - Quanto mais concretamente visualizares a imagem, mais memorável ficará.

Estranho - Exemplo: Palavra "Gordijn", que em holandês significa "cortinado" e que a mim me faz lembrar "gorda". Então imaginei o cortinado da minha sala ser feito de mulheres muito gordas. Bastante pesado de mover, feio, completamente ridículo.

Fazem sentido para ti - Exemplo: Palavra "schade", que em holandês significa "danos" e que a mim me faz lembrar "shadow" (sombra). Então imaginei a cena do Senhor dos Anéis onde os cavaleiros negros voam sobre Minas Tirith e causam danos por todo o lado. A palavra sombra é muito usada lá para descrever a propagação do mal e facilmente associo a essa imagem.

Fazem sentido lógico para ti - Exemplo: Palavra "verkeerd", que em holandês significa "errado". Esta memorizei de forma diferente. Ver + keer. "Keer" que em holandês significa "vez", como em outra "vez". Então se algo está errado é necessário ver outra vez, para corrigir.

Estas técnicas aqui descritas podem (e devem) ser usadas em conjunto. Deixo aqui a Ted Talk onde o Joshua Foer deu uma palestra sobre o assunto.



Técnica do Palácio de Memória (Memory Palace)



Um Palácio de Memória é o uso de uma viagem imaginária por uma sequência de lugares, em qe cada um serve como um local para colocar algo qe se qeira relembrar. É uma técnica usada por vários campeões de memória, qe em conjunto com outras (Mnemónicas e Molas), lhes permite realizar feitos qe de fora parecem sobre-humanos. Os locais deverão estar preferencialmente próximos uns dos outros de modo qe se possa caminhar na imaginação de uns para os outros, ou em sequência.

Qualquer lugar serve, desde qe reúna duas condições essenciais: 1) Existirem sítios bem distintos e suficientes para colocar as memórias; 2) A pessoa conhecer muito bem os locais. Em cada local será depois necessário imaginar uma cena com os objetos, pessoas ou palavras qe se qer lembrar.

Usei esta técnica para MCM1 e PF2. Por exemplo, coloquei a informaçao sobre os aços no meu quarto, cobre estanho e bronze na sala, Ti noutro quarto, etc. Quando era feita alguma pergunta sobre um dos materiais era só ir ao respetivo local e olhar à minha volta.

Técnica das Molas (Peg System)

O princípio básico é juntar (daí as molas) permanentemente algo pouco memorável (por exemplo, metais, números, palavras abstratas) a qualqer coisa com tom a roçar o ridículo e bastante mais memorável. Para lembrar listas, sequências ou ligações entre esses factos imagina-se as novas memórias ridículas a interagir entre si. Exemplo 1: Memorizar que o Níquel, e Manganês são elementos Gamagenos. Níquel --> Cavaleiro qe diz Ni, Manganês --> Manjerico, Gama --> Vasco da Gama --> Caravela. Associando sempre estes elementos com as respetivas imagens, basta depois imaginar cenas em qe elas intervenham. Para o caso do exemplo ficaria por exemplo um Cavaleiro qe diz Ni a segurar um manjerico numa caravela. Mais um exemplo. Memorizar os elementos alfagenos (Cr, Mo, V, Ti, W). Imagina o ambiente dentro de um comboio alfa-pendular. Lá dentro, de repente, ves um Vandalo a segurar um Crómo de Ti com uma mao, e na outra mao uma lampada de tungsténio. Visualiza isto mesmo como se estivesses lá. Parabéns! nunca mais te vais esqecer de quais sao os elementos alfagenos :).

Técnica das Ligações (Linking System)

Trata-se de um sistema semelhante ao anterior mas sem usar objetos alternativos. Aquilo qe se pretende memorizar é interligado através de cenas o mais ridículas / memorizáveis possíveis.

Para PF1, depois de colocares os Cermets nalgum local (ver Técnica do Palácio), memorizar qe tem elevada dureza, resistem a elevadas temperaturas, estabilidade química (nomeadamente resistencia à oxidaçao). Exemplo: Imaginar o local cheio de lava, uma pedra de diamante a flutuar no meio e a choverem garrafas de O2


Mnemónicas

As mnemónicas sao auxiliares de memória que utilizam as letras / palavras de uma fórmula / frases / símbolos, para formar uma frase qe as inclua e qe seja fácil de lembrar. Por exemplo para lei de Ohm, V=RI, existe a mnemónica do "V qe ri". Para os materiais a saber em PF1 (aços, carbonetos sinterizados, cermets, ceramicos, ultra duros): Asso Carvao Com Cera Ultra dura.

Existem depois técnicas que os profissionais usam para decorar uma quantidade ridícula de informaçao. As ténicas de mnemónicas sendo os mais conhecidos, o do Dominic - várias vezes campeão de memória -(Dominic Mnemonic System) e o Maior (Major Mnemonic System)

Dominic
O processo é simples, se bem que trabalhoso de início:
1) Associar números a letras

Número 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0
Mnemónica A B C D E S G H N O

2) Associar pares de letras a pessoas (1-99)
Exemplos:
02 = OB = Orlando Bloom
27 = BG = Bill Gates
39 = CN = Chuck Norris
67 = SC = Santa Claus (Pai Natal)

3) Associar a cada pessoa uma açãoo
4) Associar a cada número um objeto, exemplo 4: faz lembrar um barco à vela.

Exemplo:
276363394
2763 6339 4 = BGSC SCCN 4 --> imaginar o Bill Gates a receber presentes e o Pai Natal a dar um pontapé a um barco à vela.

Sistema Mnemónico Maior

Consiste em associar combinações de consoantes a números, e com elas formar palavras, e daí foramar objetos e ações. Parece ser consenso qe o método do Dominic é melhor, e pessoalmente também me parece, mas aqi fica a referência.

Juntando tudo

Misturando todas as técnicas teríamos um sistema PAOL - person, action, object, location. Onde todos estes estão interligados. Uma pessoa a fazer algo com um objeto num sítio – resultando numa imagem ridícula. De preferência este sítio seria parte de um percurso mental, de modo que ao visitar esse sítio imediatamente se visualiza o resto.

Nota final

Há uma outra excelente maneira de memorizar algo qe, na verdade, nada tem a ver com estas técnicas. Perceber, entender a fundo o funcionamento de um equipamento, ou o qe está por detrás de certo fenónemo, ou porqe é qe algo é como é, ou qual a história por detrás de um certo facto, ou equaçao, sao excelentes maneiras de te lembrares delas. No entanto, podes nem sempre estar interessado nisso, e é algo que demora mais tempo e exige mais esforço mental. É assim que surgem estas técnicas, qe sobressaem pela sua capacidade de memorizaçao bruta, algo demonstrado pelos feitos aparentemente sobrehumanos dos campeoes de memória.

Livros


Links